Preservando a memória militar: obra trata das missões de paz brasileiras

O Brasil tem longa tradição de participar de missões de paz e estabilização promovidas pela Organização das Nações Unidas (ONU). Preservar essa memória e contar um pouco do dia a dia dos militares nessas missões são alguns dos destaques do livro No olho do furacão: de El Salvador ao Haiti, lançado nesta quinta-feira (4), no Espaço Cultural do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O autor é o general do Exército Ajax Porto Pinheiro, que participou de várias missões de pacificação na América Central. No Haiti, o general Ajax foi o último comandante das forças da ONU que atuaram para reestruturar o país.

Ações de paz sob a perspectiva brasileira

Apesar das diversas participações das forças brasileiras, há poucos registros literários dessas ações. "As perspectivas de militares brasileiros são originais, e essa memória deve ser preservada. Eu observei situações pitorescas, desesperadoras e até que dão esperança, e as organizei em 38 capítulos", disse o autor.

O general destaca ter muito orgulho das experiências dos "capacetes azuis" – o apelido das tropas do ONU. "Acredito que o soldado brasileiro é muito apto para essas missões. Devido à nossa diversidade cultural, econômica e até de terrenos, somos muito flexíveis e conseguimos entender a necessidade das populações locais", avaliou.

Currículo do general foi ressaltado pelo ministro da Defesa

Presente no evento, o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, destacou a inteligência e talento do colega. "Conheço Ajax desde 1974, quando cursamos juntos a escola preparatória de cadetes. Ele é um grande exemplo de militar, pessoal e profissional", observou.

O ministro Nogueira apontou que o Brasil teve atuação importantíssima no Haiti, sendo o general Ajax figura-chave em vários momentos, mesmo antes de alcançar a patente de general. "Foram 13 anos de missão no Haiti, e militares brasileiros ajudaram a salvar milhares de pessoas", destacou.

Além do ministro da Defesa, estavam presentes ao evento o brigadeiro do ar Reginal Pontirolli, o secretário-geral do STJ, Jadson Santana, e o diretor-geral do tribunal, Marcos Antonio Cavalcante.

Fonte: http://www.stj.jus.br/sites/portalp/Paginas/Comunicacao/Noticias/04082022-Preservando-a-memoria-militar-obra-trata-das-missoes-de-paz-brasileiras.aspx

Sobre o Autor

Sandro Rizzato

Sócio Fundador do escritório Pagotto, Rizzato & Lyra Sociedade de Advogados

Isso vai fechar em 0 segundos

Enviar Mensagem
Contato
Bem-vindo ao WhatsApp do escritório Pagotto, Rizzato e Lyra Sociedade de Advogados!

Por favor, aguarde um momento enquanto redirecionamos sua mensagem para um de nossos advogados especializados.

Se preferir, também pode nos contatar pelo telefone (27) 3235-8268.